VOCÊ SABE COMO SER UM BOM GESTOR HOSPITALAR?

Aqui vão 8 dicas para garantir a saúde de sua instituição

Gerenciar um hospital é uma tarefa que exige planejamento, organização e controle. Para aumentar a eficiência e a qualidade da assistência prestada pela instituição de saúde, o profissional que atua nessa área precisa ter como foco a melhoria contínua dos processos internos e a satisfação dos usuários e dos colaboradores.

Pensando nisso, separamos aqui 8 dicas específicas de como ser um bom gestor hospitalar. Elas consideram habilidades e conhecimentos pertinentes ao perfil desse profissional tão diferenciado que cada vez mais é procurado pelo mercado.

Afinal, qual o papel do gestor hospitalar?

De uma forma geral, é responsabilidade do gestor hospitalar administrar todos os recursos dos quais o hospital, público ou privado, dispõe: humanos, financeiros, logísticos, sanitários, etc.

Esse profissional é responsável também por gerenciar os processos internos e garantir a segurança e a qualidade dos serviços prestados aos pacientes.

Além disso, o planejamento e a manutenção de toda a infraestrutura física do hospital e dos equipamentos e insumos médicos também passam pelo controle do gestor.

Então atente aos pontos:

1 – Adote uma postura analítica

Um gestor hospitalar de perfil analítico é aquele que sabe coletar e analisar dados quantitativos e qualitativos e, a partir disso, tomar decisões mais ágeis e assertivas.
Ao adotar uma postura analítica, esse profissional conseguirá identificar problemas e propor soluções com mais facilidade e baseando suas decisões em fatos e não e meras intuições.

2 – Mantenha-se atualizado

A área da saúde está em constante transformação. A cada dia, novas técnicas e metodologias surgem no mercado e o gestor hospitalar precisa estar sempre atento e atualizado em relação a essas transformações.
Nesse sentido, procure investir em cursos nas áreas de gestão, finanças e administração, focados em serviços de saúde. Assim, você estará mais preparado para lidar com as especificidades desse mercado.

3 – Seja flexível

Um bom gestor hospitalar precisa ter flexibilidade para lidar tanto com os usuários do serviço como com os funcionários da instituição.
A atuação na área de saúde é muito dinâmica e, não há como negar, envolve muitas emoções, principalmente por parte dos pacientes. No entanto, essa emoção também pode interferir na atuação dos profissionais.
Eles são treinados para enfrentar isso, mas nem sempre é possível ter um controle total da situação.
Por isso, um gestor flexível, que saiba como contornar momentos delicados, sem excesso de rigidez, têm uma habilidade que pode fazê-lo se destacar em sua atuação.
Lembre-se: cada indivíduo é único, com reações diferentes. E quem trata diretamente com pessoas de forma tão íntima como o profissional de saúde tem que estar preparado para lidar com essa diversidade.
Além disso, é importante ser flexível também em relação às metas estabelecidas. Metas estão sempre sujeitas à alterações de acordo com o andamento dos processos.
Notar que as coisas não estão seguindo o rumo pretendido e não mudar a rota é uma demonstração de fraqueza, e não o contrário.

4 – Tenha espírito de liderança

Um gestor com espírito de liderança consegue direcionar um olhar mais ampliado sobre o ambiente de trabalho e antecipar problemas.
Além disso, ele acaba servindo de inspiração para os demais colaboradores e transmitindo segurança aos pacientes.
Por mais tentador que seja, principalmente se o gestor hospitalar for médico ou outro profissional de saúde, ele deve resistir ao impulso de “pôr a mão na massa” e microgerenciar (isto é: interferir demais no trabalho de seus liderados).
O papel do líder é observar o cenário como um todo, delegar, controlar, orientar e ajustar.

5 – Seja organizado

O gestor hospitalar lida com diferentes aspectos da assistência, muitas vezes ao mesmo tempo: limpeza, logística, materiais, finanças, etc.
Por isso, é fundamental ter bastante organização para que o trabalho seja desempenhado com qualidade, segurança e sem negligências.
Softwares e ferramentas de gestão são uma excelente maneira de se manter organizado.

6 – Cultive empatia

Lidar com pessoas, principalmente se o assunto for saúde, é uma tarefa que requer muita empatia.
Colocar-se no lugar do outro é uma prática que pode ajudar o gestor a entender as necessidades e demandas dos usuários daquele serviço e, assim, propor as melhores soluções.
A empatia precisa também ser cultivada dentro do ambiente de trabalho. Assim, promove-se a integração entre os colegas e o espírito de equipe.

7 – Atente-se aos indicadores de desempenho

Os indicadores-chave de desempenho – KPIs – são ferramentas que servem para medir, acompanhar e avaliar a performance de determinados processos.
No caso das instituições de saúde, os KPIs são importantes para monitoramento das metas e para ajudar os gestores hospitalares nas tomadas de decisão, fornecendo insights valiosos sobre redução de custos e aumento da qualidade dos serviços, por exemplo.

8 – Invista em feedbacks

Uma forma interessante e eficaz de saber como ser um bom gestor hospitalar é ouvindo a opinião dos usuários do serviço e dos colegas de trabalho.
Portanto, faça boas pesquisas para descobrir em que aspectos é possível melhorar. Procure ouvir o que as pessoas que estão a sua volta têm a dizer. Esteja acessível e aberto a críticas e sugestões.